ELAS SOBRE RODAS



Este é um Trendy Wheels dedicado a Elas, a Elas com maiúscula e tudo, num ambiente ainda dominado – que se queira, quer não – pelos Eles (vai também com um “E” maiúsculo, para não ferir os mais sensíveis). Uma realidade que se faz sentir transversalmente a todas as indústrias, particularmente no mundo das “rodas”.

Quando, no início do século XX, o sector feminino quis fazer-se ouvir nos mais variados domínios, como começar a conduzir, tal foi alvo de chacota da maioria do sexo oposto, para não quererem ver que o ‘seu’ mundo automóvel estava a ser invadido pelo alegado sexo fraco. Mais de 100 anos depois, há lugares no mundo que ainda resistem, exercendo fortes condicionantes sobre o que as mulheres podem ou não fazer, como, por exemplo… conduzir, algo que na Arábia Saudita é estritamente proibido, fruto das tradições e constituição. Mas felizmente que as coisas evoluem, levando as mulheres a abraçar as suas causas, com enormes doses de iniciativa, esforço e dedicação, assumindo postos-chave na indústria das rodas.




O corolário atingiu-se muito recentemente quando a General Motors anunciou que o seu próximo Presidente seria… uma Presidente. Chama-se Mary Barra e é a primeira de sempre num cargo máximo do sector automóvel! Uma “lança em África” (ou, mais propriamente, na América no caso presente), apesar de estarmos em pleno Século XXI, sabendo-se que para uma mulher atingir uma posição dessas tem de deixar para trás muitos homens – alegadamente – mais competentes e – alegadamente – mais indicados para um lugar de tão grande responsabilidade, numa das maiores multinacionais do planeta!

Senão vejamos! De acordo com um estudo da organização internacional Catalyst, debruçando-se sobre as “500 Maiores Empresas” da conceituada revista Fortune, ao longo dos últimos três anos pouca ou nenhuma evolução houve nos nomes de mulheres como CEO (ou Presidentes Executivas, em modo ‘livre’), CFO (idem para Directoras Financeiras) ou membros do Conselho de Direcção. A nível mundial e actualmente apenas 16,9% destes cargos são ocupados por mulheres, havendo mesmo empresas – 135 nas tais 500 maiores – em que aqueles postos são 100% pertença do sexo masculino.

Aos 51 anos, esta nova responsável máxima da GM vem alterar as estatísticas, aumentando para 22 o número de empresas (pouco mais de 4%) da tal lista com mulheres no cargo máximo do respectivo grupo empresarial. Uma nova visão de que, havendo competência, não interessa o sexo da pessoa de quem lidera. Naturalmente que as respectivas equipas de gestores têm que as ajudar a manobrar um ‘barco’ manifestamente grande para ser levado só pela timoneira, senão o dito afunda-se.

Fotos: General Motors, Mercedes-Benz, Ford
Desde a invenção do automóvel, no final do Século XIX, que as mulheres têm um papel activo, embora quase sempre na ‘sombra’. Entre outras, ficaram para a história a aventura de Bertha Benz (mulher de Karl Benz, co-fundador da Mercedes-Benz), quando um dia decidiu usar um protótipo de um veículo do marido para levar os filhos a visitar a avó, enquanto aquele trabalhava na oficina; as várias inovações do sector que foram idealizadas por mulheres, tema que abordei numa das primeiras edições do Trend Wheels, em “UM TOQUE DE MULHER”; o facto de Henry Ford ter sido o primeiro construtor a empregar mulheres nas suas fábricas, pagando-lhes o mesmo que aos homens, ouvindo em casa as sugestões da sua mulher Clara. 

De ‘simples’ operativas em fábricas, evoluíram para cargos de maior responsabilidade, primeiro nas próprias linhas de montagem, chefiando equipas de homens ou mistos, ascendendo depois aos vários departamentos dos escritórios das empresas, ou das áreas de engenharia, desenvolvimento de produto ou design, evoluindo gradualmente na estrutura, a maioria ambicionando o patamar agora atingido pela nova responsável máxima da GM. 

No nosso burgo, num sector automóvel nacional que anda pelas ruas da amargura, o panorama é apenas e só aproximado! Não há, por isso, qualquer mulher na liderança dos vários importadores, cargos ainda 100% detidos pela falange masculina, mas várias direcções de Relações Públicas, de Marketing e mesmo de Vendas ou Recursos Humanos contam com nomes femininos, alguns deles marcantes e quase indissociáveis das mesmas! 

Ao longo dos meus já mais de 20 anos no sector tenho tido o privilégio de trabalhar com algumas destas responsáveis, de marcas como a Ford, Honda, Peugeot, Mazda, Renault, SEAT, Suzuki, Volkswagen e Volvo, e de empresas como a GEFCO ou a MSG (hoje evoluída para Inflyence), entre outras. Não irei mencionar nomes… Elas sabem quem são! 

Deixo a todas estas profissionais, bem como às restantes e demais leitoras/es do nosso blog, votos de enorme sucesso e que todas/os cheguem cada vez mais longe nas suas carreiras! 

Cumprimentos distribuídos irmãmente e até breve! 

José Pinheiro 

Notas: 1) As opiniões acima expressas são minhas, decorrentes da experiência no sector e de pesquisa de várias fontes. Os restantes membros deste ‘blog’ não têm obrigatoriedade de partilhar dos mesmos pontos de vista; 2) Direitos reservados das entidades respectivas aos ‘links’ e imagens utilizados neste texto, conforme expresso.

4 comentários:

MariaJoão disse...

Brilhante é o que me apraz dizer :)

José Pinheiro (Trendy Wheels) disse...

Olá Maria João.
Fico muito contente que tenha gostado!
Um grande beijinho
JP

Anónimo disse...

ZL
Não podia deixar de vir aqui dizer-te Obrigada.
Bjs, Ana

Anónimo disse...

ZL
Não podia deixar de vir aqui dizer-te Obrigada.
Bjs, Ana