A PEDALAR NA PASTELEIRA


Pasteleira: substantivo feminino, referente àquela que faz ou vende pastéis e outros bolos; ou, adjectivo, relativo a pastelaria. Mas, é também um adjectivo com que se descreve uma bicicleta pesada antiga.

Vem este introito a propósito de um curioso conceito em que, casualmente, tropecei há dias numa viagem ao Porto e que liga a indústria da pastelaria à comercialização, aluguer e reparação… de bicicletas!

Chama-se “A Pasteleira” e conjuga, num mesmo espaço, uma mercearia ‘gourmet’ que vende bolos e outras iguarias tradicionais, de confecção caseira – chás, chocolates, compotas, vinhos, licores, espumantes – e também comercializa e aluga exemplares destes ambientais veículos de duas rodas a pedais, acrescendo-lhe ainda operações de reparação. E tudo num mesmo espaço.


A loja em si situa-se no nº 563 da Rua de Santa Catarina, uma das principais artérias da cidade. Após a perplexidade inicial sobre onde estaríamos de facto, somos convidados a entrar e recebidos com um enorme sorriso. Uma vez lá dentro, fica-se imediatamente conquistado por todo o ambiente caseiro, para mais porque, naquele dia, nos deram a provar “As Bolachas da Sofia”, cuidadosamente expostas numa mesa recheada de cor e sabor. Um aveludado suave e doce que apetecia ficar a comer, uma após outra, maravilhados com a conjugação entre as bicicletas, os confortáveis sofás e a mobília antiga, pesada, mas agradável à vista, tal como a decoração geral do espaço.

Fotos: TrendyMind (1) e A Pasteleira (2 e 3)
Um piso abaixo fica a sala de exposições, local de encontros, tertúlias e eventos, cujas paredes estão decoradas com exemplares variados, mais ou menos clássicos, destes espécimes de duas rodas. Adicionalmente, há a oficina, onde a ‘sua’ bicicleta pode ser afinada e/ou reparada enquanto bebe um chá ou um café, acompanhado de um chocolate, um bolinho ou faz umas compras para levar para casa ou para os amigos. Numa palavra: “Fantástico”! 

Não fosse querer também conhecer mais um pouco de uma cidade em que já havia estado umas quantas vezes em trabalho, mas que nunca calcorreara ou tivera oportunidade de visitar com detalhe – incluindo subir os cerca de 200 degraus da Torre dos Clérigos, desfrutar da vista num esplêndido (mas muito frio) dia de sol e, claro, voltar a descê-los – e acho que ficaria em “A Pasteleira” durante horas a fio… 

Hei-de lá voltar – aliás, quero mesmo lá voltar… – sendo que convido todos os que me lerem e que forem ao Porto a dar um saltinho a “A Pasteleira” e visitar este espaço singular. Se for um local, aproveite e faça uma revisão à sua bicicleta ou compre uma nova, senão, alugue uma para umas voltinhas pela cidade. Há muito por onde escolher e tanto para ver! 

Se, entretanto, quiser saber mais sobre este espaço, visite “A Pasteleira” no Facebook. 

Gostaria de referir que este texto também ficaria muito bem integrado no espaço da minha colega de ‘blog’ Andreia Mouro, responsável pela área Trendy Spot. Caso queiram saber mais de outros locais de eleição do nosso Portugal, visitem-na! 

Cumprimentos distribuídos irmãmente e até breve! 

José Pinheiro 

Notas: 1) As opiniões acima expressas são minhas, decorrentes da experiência no sector e de pesquisa de várias fontes. Os restantes membros deste ‘blog’ não têm obrigatoriedade de partilhar dos mesmos pontos de vista; 2) Direitos reservados das entidades respectivas aos ‘links’ e imagens utilizados neste texto, conforme expresso.

3 comentários:

Anónimo disse...

Segui o teu conselho é fui ler a Andreia, adorei e tenho vontade de ir aos sítios todos que já lá li.
Obrigada
Ana

Anónimo disse...

Também já lá fui e adorei o conceito! Um espaço maravilhoso a visitar na baixa do Porto! :)

José Pinheiro (Trendy Wheels) disse...

Boa noite e obrigado à Ana e ao 'anónimo' que fez o segundo comentário.
Continuem a seguir-nos no blog Trendy Mind. Gostamos de os 'ver' por lá a ler-nos!
JP