Ver ou não ver, eis a questão!


Os nossos olhos para além de verem o mundo à sua volta, eles próprios são um mundo bem abastado e complexo. Basicamente, a órbita, o olho no sentido médico do termo, é constituída pela córnea, a pupila, a íris, o cristalino, a esclera, a retina... A córnea é a película transparente que delimita a câmara anterior do olho (iris,pupila) e que pode dar alterações visuais (ametropia) quando danificada. A pupila é um espaço vazio, o pontinho preto que vemos no centro do olho. A iris contém pigmentos coloridos que dar vida e cor ao nosso olho. O cristalino é a uma lente encapsulada que é muito importante na focagem e acomodação do olho, quando opaco pode indicar a presença de cataratas. A esclera é a zona esbranquiçada do olho que confere rigidez ao globo ocular. Por último mas não menos importante, muito pelo contrário, temos a retina que é a camada neurossensorial do olho que com os cones e bastonetes leva a informação visualizada para o cortex visual. 

Quando a nossa visão está perfeitinha, a focagem ocorre na fóvea, região situada na retina, mas se isso não acontecer temos uma ametropia (erro refractivo, defeito visual). Decerto já ouviram falar de pelo menos algum destes tipos de ametropias como a miopia, a hipermetropia, o astigmatismo e a presbiopia. Na miopia, a nossa visão ao longe está afetada e por isso a imagem é focada à frente na retina. Parece que uma das causas para esta alteração é ter um olho demasiado grande mas, não se assustem, pois a maioria dos olhos grandes não são miopes. Para tratar este defeito utilizam-se lentes divergentes. A hipermetropia é o oposto da miopia, a imagem é focada atrás da retina e o olho normalmente é muito pequeno. Desta forma, os hipermétropes tendem a ter cansaço ocular. As lentes usadas são do tipo convergente. No astigmatismo, quem mais sofre é a córnea (ou o cristalino) que normalmente está irregular e por isso vão existir 2 pontos de focagem. Nos casos de astigmatismo simples, utilizam-se lentes cilíndricas. Por fim, a presbiopia é um fenómeno universal e fisiológico e está muito relacionada com o aumento da idade, onde há alteração na acomodação. Neste caso usam-se lentes convergentes.


3 comentários:

Ana Marcelino Cruz disse...

Bom texto, simples e super acessível!
Trendy Kiss *

Tetepsilva disse...

Fiquei a saber mais alguma coisa acerca do olho. Obrigada Ana Luísa

Jose Augusto Cardoso Pinto disse...

Texto interessante, equilibrado e acessível. É bom que a ciência seja levada até às pessoas, substituindo tanta banha da cobra e futilidade que anda por este mundo. :)